"Recria tua vida, sempre, sempre. Remove pedras e planta roseiras e faz doces. Recomeça." (Cora Coralina)

Entre, fique à vontade, compartilhe conosco... Deixe seu comentário...

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Uma broa e uma poesia....


"Vieram criticar
Que Minas não tem mar
Pro mineiro tanto faz
Se Minas não tem mar 
O mar não tem Minas Gerais

Me disseram que quando o mar
Fica agitado demais
E aquele barulho que a onda faz

É o mar chorando
Implorando, pedindo
Pra banhar Minas Gerais

Mar, não chores mais
Só eu sei o quanto é triste, mar
Ficar longe de Minas Gerais"




Receita:

4 ovos
1 copo de fubá (tipo requeijão)
1 copo de queijo ralado (canastra, meia cura)
1/2 copo de coco ralado
1 copo de açúcar
1/2 copo de óleo
1 copo de leite frio
1 colher (sopa) cheia de fermento em pó
1/2 colher (chá) de sal
3 colheres (sopa) de farinha de trigo
açúcar refinado e canela em pó para polvilhar

Bater no liquidificador os ovos, o óleo, o leite, a farinha, o açúcar e o sal. Numa tigela colocar o queijo, o coco e a farinha. Acrescentar o conteúdo do liquidificador. Misturar. Adicionar o fermento em pó. Colocar em forma de buraco no meio untada e polvilhada. Forno pré-aquecido, 180oC.
Se preferir, polvilhar com a mistura de canela e açúcar.


Um beijo,

Verônica


Texto: "Mar sem Minas Gerais"
Autor: desconhecido

sábado, 18 de agosto de 2012

Lagarto recheado ao molho de pimenta rosa


Olá queridos,

sempre falo aqui da culinária de marido: sem receita, sem medida e tudo fica bom.... Pois bem! Onde moramos (ES) é uma região onde se cultiva muita pimenta. É o segundo maior estado produtor de pimenta-do-reino no Brasil. Além dessa, há uma outra pimenta muito conhecida aqui que é a pimenta rosa ou aroeira. E não seria muito estranho ver marido usando essa pequena semente na cozinha. Pra mim é novidade essa pimenta (em todos os sentidos, não só na culinária!!), mas para marido.... Ele chegou em casa e disse: "vou fazer uma carne com molho de pimenta rosa". Nessa hora, quem sou eu para discordar!! Primeiro porque ele ia p/ cozinha; segundo porque sabia que isso tudo ia virar coisa boa. Com vocês, o lagarto de marido!!!! E o molho de pimenta, é claro!!!!!!



O preparo:

1 peça de lagarto (mais ou menos 2 kg)
calabresa para rechear (ou vc pede p/ açougueiro fazer isso)
alho, cebola, vinagre, caldo Knorr dissolvido em 1 xícara de água morna
folhas de louro 
Deixar a carne marinando nesses temperos da noite para o dia.

Cozinhar na pressão como de costume. Depois de cozida e dourada, retirar a carne da panela e no caldo que restou adicionar mais cebola picada, azeite, molho de soja, um cálice de vinho (o que vc tiver). Deixar em fogo baixo até dar uma encorpada. Acrescentar um punhado de pimenta rosa. Deixar mais um pouquinho no fogo. Colocar sobre a carne.

Opinião: gente, fica ótimo!!!! Não sei descrever o sabor exatamente, mas dá um toque todo especial à carne. Muito bom mesmo!!!!!!!

Bom fim de semana!

Verônica

 

domingo, 12 de agosto de 2012

Homenagem aos Pais e biscoitinhos decorados




*Pai
Pode ser que daqui algum tempo
Haja tempo pra gente ser mais
Muito mais que dois grandes amigos
Pai e filho talvez
Pai
Pode ser que dai você sinta
Qualquer coisa entre esses 20 ou 30
Longos anos em busca de paz
Pai
Pode crer eu vou bem eu tô indo
Tô tentando vivendo e pedindo
Com loucura pra você renascer
Pai
Eu não faço questão de ser tudo
Só não quero e não vou ficar mudo
Pra falar de amor pra você
Pai
Senta aqui que o jantar tá mesa
Fala um pouco tua voz tá tão presa
Nos ensina esse jogo da vida
Onde vida só paga pra ver
Pai
Me perdoa essa insegurança
É que eu não sou mais aquela criança
Que um dia morrendo de medo
Nos seus braços você fez segredo
Nos seus passos você foi mais eu, eu, eu
Pai
Eu cresci e não houve outro jeito
Quero só recostar no teu peito
E pedir pra você ir lá em casa
E brincar com vovô com meu filho
No tapete da sala de estar
Pai
Você foi meu herói, meu bandido
Hoje é mais muito mais que um amigo
Nem você, nem ninguém tá sozinho
Você faz parte desse caminho
Que hoje eu sigo em paz
Pai
Paz

  *Letra e música: Fábio Júnior







 (esses biscoitos foram decorados pela Ana, minha filha)

 Agora a receita dos biscoitinhos:

3 xícaras (chá) de farinha de trigo (usei mais um pouco)
1 xícara (chá) de manteiga sem sal à temperatura ambiente
1 xícara (chá) de açúcar
1 colher (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de extrato de baunilha 
1 pitada de sal
1 ovo
raspas de limão

Bater a manteiga com o açúcar, até virar um creme claro e fofo. Acrescentar o ovo, o sal e o extrato de baunilha e as raspas de limão. Bata rapidamente, para misturá-los. Adicione a farinha peneirada com o fermento. Misture tudo com as mãos e faça uma bola com a massa. Ponha-a num saco plástico (ou embrulhe com filme plástico) e leve-a à geladeira por duas horas. Passado esse tempo,  ligue o forno em 180ºC. Corte a massa no formato desejado, não muito fino e leve ao forno em forma não untada. Deixe que os biscoitos assem até que comecem a dourar nas bordas. Remova-os da forma e deixe que esfriem sobre uma grade. Decore como preferir.
Beijos,
Verônica


domingo, 5 de agosto de 2012

Pé-de-moleque da Bisa

Oi queridos,

minha avó sempre fez doces. Todo aniversário da família tinha que ter docinho da Dona Sylvia. Cajuzinho, brigadeiro, beijinho, olho de sogra e até alguns doces que já saíram de moda mas que também tiveram seus minutos de fama (melindre, queijadinha, amor em pedaços, docinho de queijo, etc). Já era de se esperar que (sendo criada em meio a tantas forminhas, latas de leite condensado, chocolate) eu fosse gostar de doces... Lembro-me bem que eu ajudava a separar as forminhas e "raspar a lata de leite condensado"!!!! Ficava de longe olhando minha avó na beira do fogão mexendo, mexendo, mexendo a panela em fogo bem baixinho para o doce não "pegar" no fundo. Hoje, vejo uma de minhas filhas com a mesma idade que eu tinha naquela época fazendo a mesma coisa que eu... Mas, dentre tantos doces, tinha um favorito: o pé-de-moleque. Adoro tudo que tem amendoim, mas esse doce era especial.... A receita é bem antiga; a mãe dela já fazia. A Bisa (como falam minhas meninas) está com 96 anos e já não faz mais seus docinhos. Mas, graças à Deus e à boa memória da Bisa, tenho algumas das receitas que ela fazia.

Receita:

500g de amendoim torrado e descascado
2 latas de leite condensado
a mesma medida da lata de leite de vaca
20 colheres (sopa) de açúcar
6 a 8 colheres (sopa) de chocolate em pó (dos Frades)
1 colher (sopa) de manteiga

Colocar numa panela todos os igredientes, exceto o amendoim torrado e sem casca. Mexer sempre em fogo brando até encorpar. Adicionar o amendoim. Continuar mexendo bem até dar ponto de cocada. Desligar o fogo. Colocar numa superfície levemente untada colheradas do doce. Esperar esfriar.






Não sei dizer ao certo a quantidade pois, aqui em casa, enquanto vou colocando na bancada vem alguém e "rouba" um pé-de-moleque. A quantidade vai depender também da colher que você usa para "formatar" o doce. Já fiz pé-de-moleque bem pequeno, usando duas colherzinhas de chá. Normalmente, uso as de sopa para dar o formato.

Bom, espero que tenham gostado. Um super beijo em todos que só passam por aqui ou que também comentam...

Verônica



quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Comida caseira: o almoço de marido...

Olá queridos,

marido é mineiro e, como já disse aqui no blog, cozinha muito bem... Não segue receita e TUDO dá certo, TUDO fica "deliciosamente bom". E não foi diferente com esse almoço: feijão com linguiça e bacon, arroz branco, mandioca cozida, jiló refogadinho no alho e costelinha de porco. Não fica uma delícia??



Daqui a pouco eu volto....

bjs,

Verônica


Veja também:

Related Posts with Thumbnails